sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Origem da “Salve Rainha”: hino da Primeira Cruzada completado por São Bernardo

Quantas vezes dos lábios piedosos a todo momento, um pouco por toda parte, se levanta ao Céu a oração Salve Rainha! Salve Rainha, Mãe de misericórdia, vida, doçura, esperança nossa, Salve, etc., etc.

Mas, quantos sabem qual é a sua origem? Sabem que foi composta especificamente como um canto de guerra para os Cruzados?

Pois bem, eis a origem dela.

Ela é atribuída ao bispo de Puy, Dom Adhemar de Monteuil, membro do Concílio de Clermont, onde foi resolvida a primeira Cruzada.

Adhemar participou da Cruzada na qualidade de legado apostólico e compôs a Salve Rainha, ou Salve Regina em latim, para que se tornasse o canto de guerra dos cruzados.

A princípio, a antífona acabava por estas palavras: nobis post hoc exilium ostende.

A tríplice invocação que a termina presentemente foi acrescentada por São Bernardo, e merece ser narrado como se fez.

Na véspera do Natal do ano de 1146, São Bernardo, mandado para a Alemanha como legado do Papa, fazia sua entrada solene na cidade de Spira, depois de uma viagem memorável na qual os milagres foram numerosos.

O bispo, o clero, os cidadãos todos, com grande pompa vieram ao encontro do santo.

Conduziram-no, ao toque dos sinos e dos cânticos sagrados, através da cidade até a porta da capital.

Ali, o imperador e os príncipes germânicos o receberam com todas as honras devidas ao legado do Papa.

Enquanto o cortejo penetrava no recinto sagrado, o coro cantou a Salve Rainha, antífona predileta do piedoso abade de Claraval.

Bernardo, conduzido pelo imperador em pessoa e rodeado da multidão do povo, ficou profundamente comovido com o espetáculo que presenciara.

Acabado o canto, prostrando-se três vezes, Bernardo acrescentou de cada vez uma das aclamações, enquanto caminhava para o altar sobre o qual brilhava a imagem de Maria:



O clemens! O Pia! O dulcis Virgo Maria! — Ó clemente! Ó piedosa! Ó doce Virgem Maria!


“Maria ensinada à mocidade”, Livraria Francisco Alves, Rio, 1915


Fonte: Blog Orações e milagres medievais

6 comentários:

Renda Residual disse...

São muito interessantes o que são postados, mas, criem "Versão para impressão" tôda vez que me interesso por um texto tenho que copiar e colar no word e depois imprimir.
Grato,
Reginaldo

regina selma disse...

achei a história da salve rainha muito linda.gostaria de parabeniza-los,por tal escolha.

NANDA disse...

Tanto a oração Ave-Maria e da oração do Pai-Nosso são divinas. Mas há algo de glorioso ao pronunciar o Salve-Rainha. Uma devoção lindíssima à Nossa Senhora.

DAMIÃO disse...

Eu conhecia uma outra versão para a origem da Salve Rainha; que conta que devido a grande paixão de São Bernardo por Nossa Senhora, ele teria pedido a Nosso Senhor que lhe permitisse morrer nos braços da Virgem Maria, e que, portanto, teria entregue sua alma a Deus no momento em que compunha este louvor a Virgem Mãe, e que os seus discipulos complementaram a prece com as aclamações "Ó clemente! Ó piedosa! Ó doce Virgem Maria!".
Como eu não disponho de documentação comprobatória, não posso contestar a versão que está sendo apresentada neste boletin, mas gostaria de informar que conheci esta história a cinco anos, através de um comentário da minha Professora de Mariologia do curso de Teologia da UCSAL, que conclui em 2005.
De qualquer maneira a SALVE RAINHA é uma oração muito profunda, que produz uma inigualável paz de espírito.
Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dígnos das promessas de Cristo. Amém!

Anônimo disse...

CONCORDO COM O COMENTÁRIO DE "RENDA RESIDUAL" E REFORÇO O PEDIDO.LINDO A SALVE RAÍNHA.TENHO O MAIOR RESPEITO E DEVOÇÃO A ESTA ORAÇÃO.UM GRANDE ABRAÇO.

Socorrolacerda disse...

achei a história da salve rainha muito linda.gostaria de parabeniza-los,por tal escolha,porém gostaria de ver aqui publicado o lembrai-vos de S.Bernardo.
Um grande abraço