segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Há mais de um século, Nossa Senhora Aparecida coroada Rainha do Brasil

A Realeza efetiva de Nossa Senhora Aparecida sobre o Brasil é um fato que ninguém pode negar. A propósito, uma pergunta poder-se-ia fazer: o povo brasileiro é fiel a essa excelsa Soberana?
Freqüentemente publicamos matérias relacionadas com as maravilhas operadas pela Divina Providência em favor do povo brasileiro. Enaltecendo assim a extraordinária vocação deste País nascido à sombra da Cruz. Entretanto, nenhuma maravilha é mais indicativa dessa predileção celestial do que a miraculosa aparição da imagem de Nossa Senhora nas águas do Rio Paraíba, em Aparecida do Norte.

Foto - Rio Paraiba onde a imagem da Padroeira foi encontrada. Junto, o medalhão representando o Papa São Pio X

Nada supera as abundantes graças ali dispensadas pela Virgem Santíssima aos filhos, que a seus pés suplicam favores espirituais e materiais. Após o miraculoso encontro da imagem aparecida, as graças, os milagres e prodígios por Ela operados naquela cidade e pelo Brasil afora perpetuam os sinais de sua predileção. Contudo, em meio ao dilúvio de crises que se abate sobre o mundo, esse mesmo povo, parece por vezes d´Ela se esquecer.

Mais do que nunca, quando parecem soçobrar todas as nações, filialmente voltemos nossos olhares para nossa Santa Mãe, a Rainha e Padroeira do Brasil, e n´Ela encontraremos a solução para todas as nossas dificuldades.

* * *
Em comemoração ao dia de Nossa Senhora Aparecida postaremos em 3 partes uma matéria sobre a Padroeira do Brasil, enquanto Rainha, com direito a exercer efetiva realeza no nosso país.

Rainha com direitos efetivos sobre o Brasil

“Creio que não existe um só país que não tenha uma grande devoção a alguma invocação especial de Nossa Senhora; e no qual Ela não seja, debaixo de algum título, a Padroeira.
Há também as invocações a Nossa Senhora em cidades e em regiões, como, por exemplo, Nossa Senhora da Penha, em São Paulo. E ainda há imagens de Nossa Senhora particularmente invocadas em determinadas paróquias.
Foto - Ilustração representando o encontro milagroso da imagem no Rio Paraíba

Ou seja, Nossa Senhora, com aquela índole materna que é característica da missão d’Ela junto aos homens, se faz grande com os grandes, se faz pequena com os pequenos. Ela se faz universal para as grandes coletividades e se faz como que regional para vários grupos humanos. Desse modo podemos admirá-la em todas as dimensões: como Rainha das grandes coletividades, mas também como Mãe das pequenas unidades.

A variedade de invocações à Virgem Maria

Eu até tenho visto instituições familiares com uma devoção especial por essa ou aquela invocação de Nossa Senhora, como representando uma relação especial d´Ela com determinada família. Assim, esse padroado de Nossa Senhora toma um sentido ainda mais pormenorizado. Quer dizer, é mais uma invocação, mais uma acomodação desse trato de Nossa Senhora com os homens. E por vezes existe ainda uma devoção para cada um individualmente.

Há, portanto, uma espécie de refração da imagem de Nossa Senhora, segundo várias grandezas, várias distâncias, vários sentidos, várias dimensões, povoando o firmamento mental do homem de vários modos.

O surgimento da devoção à Virgem Mãe Aparecida
Nessa perspectiva é que devemos considerar a devoção a Nossa Senhora Aparecida como Rainha do Brasil. A América Latina tem como padroeira Nossa Senhora de Guadalupe, e no Brasil nós temos Nossa Senhora Aparecida. O que isso significa para nós?

Foto - Piso da Basílica velha, desgastado pelos incontáveis devotos que transpuseram os umbrais do templo

É interessante notar como essa devoção nasceu, que características tomou e como foi se desenvolvendo ao longo da história do Brasil. Sabemos que ela nasceu no Vale do Paraíba, e conhecemos o seu ponto de partida. Em outubro de 1717, três pescadores [Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso] estavam pescando no Rio Paraíba. De repente eles “pescam” com suas redes um tronco de imagem, e mais adiante a cabeça da imagem. A pescaria, que estava muito difícil até aquele momento, tornou-se abundante.

Depois eles construíram junto ao rio uma capelinha para a imagem que tinham encontrado, substituída mais tarde por uma capela maior. Muitos anos depois, ergueu-se no local uma Igreja [Trata-se da chamada “Basílica Velha”, ainda em nossos dias aberta aos fiéis, que data de 1888.

Foto - Quadro representando a libertação milagrosa do escravo Zacarias

As graças ali alcançadas foram acentuadamente numerosas. O povo começou a afluir em quantidade, recebendo graças extraordinárias, entre as quais se conta uma que é famosa: um escravo chamado Zacarias, perseguido por seu senhor, tendo rezado diante da Imagem Aparecida, pediu sua libertação.

Percebeu ele, de repente, que suas algemas se partiram, ficando livre delas. E seu senhor, que iria puni-lo ferozmente, porque tinha fugido, viu-se desarmado, e concedeu ao escravo a liberdade. As correntes e algemas ainda se conservam na sala dos milagres na cidade de Aparecida.(1)

Nossa Senhora, Rainha do Brasil


Desde então a devoção a Nossa Senhora Aparecida se tem generalizado. Populações daquela zona do norte do Estado de São Paulo, como também de Minas Gerais, do Estado do Rio etc, confluem para ali; e Nossa Senhora vai atendendo aqueles devotos, concedendo continuamente graças extraordinárias.

Foto - Imagem da Padroeira do Brasil, durante a cerimônia da coroação, em setembro de 1904

Mas, ao mesmo tempo em que isto se dava, a devoção a Nossa Senhora Aparecida foi marcando a vida da Igreja. A tal ponto que, no pontificado de São Pio X, Ela foi coroada solenemente Rainha do Brasil, em 8 de setembro de 1904. Coroação efetivada num ato oficial, na presença de muitos membros do Episcopado nacional. De acordo com um decreto da Santa Sé, Nossa Senhora Aparecida passou a ser Rainha do Brasil. Depois, em julho de 1930, Pio XI declarou Nossa Senhora Aparecida Rainha e Padroeira do Brasil.

A Santa Sé tem o direito de constituir uma padroeira para determinada nação, bem como o de erigir uma realeza dessa natureza, que estabelece um vínculo especial de um determinado povo com Nossa Senhora, e — o que é mais estupendo — da Santíssima Virgem com esse povo. O poder de desligar e ligar na Terra e no Céu tem, entre outros, esse efeito.(2)

E Nossa Senhora, portanto, ficou sendo no Céu a verdadeira Rainha do Brasil. Esse fato nos deve ser muito grato, porque devemos ver nele um prenúncio do Reino de Maria.(2)

Rainha do Brasil: direitos efetivos em nossa Pátria

Nossa Senhora aclamada Rainha do Brasil, o Reino de Maria, juridicamente, já ficou declarado. E juridicamente, para os efeitos celestes e para os efeitos terrestres, Nossa Senhora tem direitos sobre o Brasil ainda maiores do que se Ela fosse Rainha apenas nesta Terra.

Devido a isto, temos uma obrigação especial de cultuar Nossa Senhora; de dar glória a Ela; de espalhar sua devoção por toda parte; de lutar junto aos outros povos que resistam ao culto de Nossa Senhora; de fazer, portanto, cruzadas em nome d´Ela. Com isso, é toda uma vocação nacional e mundial que se delineia para o Brasil, a partir precisamente dessa devoção a Ela como nossa Rainha.

Aparecida, enquanto capital espiritual do País

Daí decorre também outro fato: se o Brasil não fosse oficialmente o País agnóstico e interconfessional que é, o verdadeiro seria, para determinados efeitos, a capital autêntica do Brasil ser Aparecida.

Foto - A Basílica Nova de Nossa Senhora Aparecida

Após Nossa Senhora ter sido declarada Rainha do Brasil, eu não concebo a possibilidade de que os grandes atos da vida nacional se realizem em outro lugar que não em Aparecida: a promulgação de leis importantes; declaração de guerra; tratados de paz; grandes solenidades das ilustres famílias do País. Eu só concebo tais atos sendo realizadas em Aparecida, que, pelo ato dessa coroação, ficou sendo o centro espiritual do País.

No momento em que tanto se discute “Brasília ou Rio”, nós esquecemos o verdadeiro pólo: Aparecida, para esses efeitos, a verdadeira capital do País! Assim tem-se a perspectiva de como Aparecida deveria ser considerada.

O reinado do Coração Imaculado de Maria no Brasil

É bonito imaginar como será a Basílica de Nossa Senhora Aparecida, quando for instaurado no Brasil o Reino de Maria [predito por São Luís Grignion]. Que honra, que pompa, que grandeza, que nobreza, que elevação essa basílica deveria ter!

Foto - Com vibrante entusiasmo, a população do Rio de Janeiro a recebe a imagem da Padroeira em 1931
Podemos imaginar uma grande conjunção de ordens religiosas contemplativas que deveriam se estabelecer naquela região; grandes confessores que fossem confessar ali, para fazer bem às almas; centros especiais de cursos para intensificação da devoção mariana; enfim, quanta e quanta coisa.

São desejos que não estão no reino dos sonhos. Estão no reino dos ideais. Nós, que confiamos na Providência Divina, sabemos bem a diferença que há entre um sonho e um ideal. Para o homem que não confia na Providência, todo ideal não é senão um sonho; para o que confia, muita coisa que parece sonho é um ideal realizável.
Devemos esperar que Ela realize tais fatos, e fazer tudo para apressar esse dia — dia da constituição naquela localidade de uma ordem de coisas como deve ser, sintoma da remodelação de todas as coisas no Brasil e no mundo, para o cumprimento da promessa de Nossa Senhora em Fátima: “Por fim o meu Imaculado Coração triunfará”.

É para o triunfo do reinado do Coração Imaculado de Maria — que no Brasil se apresenta sob a devoção a Nossa Senhora Aparecida — que devemos rezar”.

* * *
Em 1972, o Brasil completava um século e meio de sua independência. Por ocasião desse sesquicentenário, foi publicado na “Folha de S. Paulo”, artigo merecedor de figurar numa antologia. Tal a elevação de seu teor, que muitos o qualificaram como sendo uma oração pelo Brasil dirigida à nossa Rainha e Padroeira.

Ao mesmo tempo, agradecimento, pedido de perdão e súplica: agradecimento pela grandiosa missão concedida pela Divina Providência ao nosso País; perdão pelos desvios nessa esplêndida missão; súplica para que, apesar de tais desvios, a nação brasileira atinja, no mais alto grau, sua missão histórica

Continua amanhã

Nenhum comentário: