terça-feira, 15 de setembro de 2009

As Sete Dores de Maria Santíssima


Tais dores são as seguintes:

1) Aflição diante da profecia do velho Simeão;

2) Angústias por ocasião da fuga e permanência no Egito;

3) Agonia pela perda do Menino Jesus, quando este discutia no Templo com os doutores da Lei;

4) Consternação quando deparou seu divino Filho carregando a Cruz;

5) Martírio ao assistir a agonia do Redentor da humanidade;

6) Ferida que seu Imaculado Coração sofreu no momento em que a lança transpassou o Sagrado Coração de Jesus;

7) Amargura em face do sepultamento do Deus humanado.


Hora da Virgem desolada

Exercício de piedade destinado a recordar a desolação pela qual passou a Santíssima Virgem após a morte e sepultamento de nosso Redentor até Sua gloriosa Ressurreição.

Essa devoção originou-se num mosteiro do Reino de Nápoles, tendo se propagado depois a outras regiões da Itália. Em Roma, ela teve início na igreja de São Marcelo, em 1841, por iniciativa dos padres da Ordem dos Servos de Maria, que foram exortados a adotar tal exercício pelo Cardeal Oldescalchi.

Coroa das Sete Dores de Maria

Forma de oração semelhante à do Rosário, mediante a qual se recitam sete Ave-Marias para cada uma das Sete dores da Virgem Santíssima, as quais devem ser meditadas durante o exercício.

Tal coroa provavelmente remonta à época dos Santos Fundadores da Ordem dos Servitas.

Bento XIII, através do decreto de 26 de setembro de 1724, concedeu várias indulgências aos que recitaram a coroa das Sete Dores.

Via da Mãe Dolorosa

Esse exercício de piedade é análogo ao da Via Sacra. Consta de sete estações, nas quais se meditam as principais dores que a Santíssima Virgem suportou durante sua vida.

A Via da Mãe dolorosa teve origem na Ordem dos Servos de Maria, no início do século XVIII. Os Papas Gregório XVI, Leão XIII e São Pio X concederam preciosas indulgências aos que praticassem tal exercício de piedade, que alcançou em nossos dias, grande difusão nos Estadou Unidos.

Fonte: Revista Catolicismo

4 comentários:

Adenilde Neninha Rocha de Freitas disse...

É olhando e meditando sobre essas aflições de Nossa Mãe, que posso perceber quanto sou indiferente às dores alheias. Lembro-me sempre de pedir., pedir e pedir à Nossa Senhora que vele por minha familia, que não a deixe se perder nem desviar-se do amor ao Cristo... mas esqueço muitas vezes de agradecer e me curvar diante de tais sofrimentos! Mãe, me ensine a seguir Teu Santo Exemplo com resignação e amor!

Anônimo disse...

Neste dia N.S.DAS DORES,estou com meu coração apertado dolorido por pela decisão de tirar de vez da minha vida,pq.do meu coraçaõ jamais saíra,o meu companheiro de trinta e dois anos de casamento,que saiu de casa a dois e não vejo possibilidade de volta.Ajuda-me Minha Mãe,cura o meu coração,Vós que sofreu tanto pelo seu filho.Estou pedindo,mas também agradeço-vos todos os dias pela vossa benção e proteção a mim ,ao pai dos meus filhos,aos meus filhos,ao meu amado netinho luz da minha casa e por estar em minha casa com seu Filho Jesus todos os dias nos abençoando e nos dando paz.Agradeço-Vos do fundo meu coração.Santa Maria Mãe de Deus.Senhora das Dores,muito Obrigado,Amém.Que seja feita a vossa vontade,Senhor.

Anônimo disse...

Diante das injustiças q vivencio no ambiente de trabalho qdo sinto a negligência humana perante o próximo, causada simplesmente pela ganância e luta pelo poder...percebo o qto td é tão pequeno, perante a grandeza divina!
Muito maior foi o sofrimento de N. Senhora...! Superou a tudo e a todos e continua gloriosa. Por isso, peço-Vos ñ me abandone nunca, nem aos meus filhos, meu netinho...e serei Lhe sempre grata.Costumo repetir sempre: Se Deus é por nós, nada poderá ser contra nós!

Fátima Antonieta disse...

Nossa Senhora, mãe e protetora! Tão gloriosa e mártir! Penetra nos corações dos injustos, hipócritas e materialistas e façam compreender que a ganância desenfreada associada a insensibilidade ñ trarão a felicidade almejada, sobretudo indispensával à harmonia da humanidade. Ensinai-os a praticar, de fato, o que tanto pregam...Vós pode, pela Vossa grandeza e poder junto ao Pai.