segunda-feira, 11 de maio de 2009

Santa Teresinha, a desconhecida: Um "furacão de glória"- parte V

A pequena Teresa

Em 1928, casualmente, o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, o insigne pensador e líder católico, Fundador da TFP, tomou conhecimento da "História de uma alma".

Tal foi o impacto produzido em seu espírito pela célebre autobiografia da Santa, que, certo dia, ele me confidenciou: "Até o momento dessa leitura eu pensava ter como meta ser um muito bom católico; mas foi a partir daí que compreendi a santidade e que eu devia ser santo; e foi então que tomei a decisão de o ser".

Rezou ele então uma novena à Santa pedindo que lhe concedesse uma graça, a qual representasse grande avanço em sua vida espiritual, proporcional à mencionada compreensão da santidade.

Durante a recitação da novena, caiu-lhe fortuitamente nas mãos o Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem, de São Luís Maria Grignon de Monfort, que veio a ocupar uma posição central em sua espiritualidade e em toda sua obra apostólica.

Tal novena, o Fundador da TFP transformou-a em oração que rezou diariamente até seu último suspiro. Santa Teresinha passou a ocupar um dos lugares de mais alto relevo em sua riquíssima vida espiritual.


Doutor Plinio sentia com ela profundas consonâncias e similitudes de alma. Porém o que mais o impressionava era a vocação profética da Santa quanto às novas gerações do século XX: "Sinto que minha missão vai começar -- disse ela no leito de morte --, minha missão de fazer amar o bom Deus como eu O amo, de dar a minha pequena via às almas" (13).

Essa via se adapta como uma luva a gerações inteiras, estropiadas pela revolucionária e apocalíptica crise que caracteriza nosso dantesco século XX. "A minha via é segura e eu não me enganei seguindo-a", disse ela, a 16 de janeiro de 1910, à priora do Carmelo de Gallipoli, em aparição que alcançou na época grande repercussão (14).

O Doutor Plinio tinha num conceito tão elevado a Santa Carmelita de Lisieux, que dizia ser favorável a que ela fosse declarada Doutora da Igreja. Servo amoroso dos princípios, devido ao "mulieres in ecclesia taceant -- as mulheres estejam caladas nas igrejas" (I Cor. 14, 34), não lhe aprazia a idéia de que uma mulher recebesse esse glorioso título.

Mas, uma vez que Santa Teresa de Avila e Santa Catarina de Siena o receberam, dizia ele ser tendente à concessão do título a Santa Teresinha. Esta era a alta conta em que ele tinha a "pequena" Teresa.

Notas:13. Carnet jaune, Mère Agnès de Jésus, 17 juillet in "Nouvelle édition du centenaire, Derniers entretiens", Cerf/DDB, Paris, 1992.
14. "Procès de béatification et de canonisation - I : Procès informatif ordinaire", Roma, 1973, pg. 561.


Fonte: Catolicismo

Um comentário:

CECILIA MAIA disse...

COMECEI A REZAR A NOVENA DE STA TEREZINHA EM 09/05/09,NO DIA 12/05/09 GANHEI 3 LINDAS ROSAS DA MINHA FILHA, SENTI NESSE MOMENTO QUE MINHA SÙPLICA SERIA ATENDIDA.
AGRADEÇO A STA TEREZINHA, COMEÇAREI OUTRA NOVENA!!!!!!