sexta-feira, 24 de abril de 2009

Uma Santa Teresinha pouco conhecida - parte V

Alma de cruzado e aparições. A combatente.



A idéia da luta alimentou constantemente o espírito forte da Santa da chuva de rosas.

"Adormeci por alguns instantes ­contava ela à Madre Inês - durante a oração. Sonhei que faltavam soldados para uma guerra contra os prussianos.

Vós dissestes: É preciso mandar a Irmã Teresa do Menino Jesus.

Respondi que estava de acordo, mas que preferiria bem que fosse para uma guerra santa. Afinal, parti assim mesmo.

"Oh! não, eu não teria tido medo de ir à guerra. Com que alegria, por exemplo, no tempo das cruzadas, teria partido para combater os hereges.

Sim! eu não teria tido medo de levar um tiro, não teria tido medo do fogo!" (4)

"Quando penso que morro em uma cama! Eu quereria morrer em uma arena!" (5).

O mesmo espírito combativo animava-a nos embates da vida espiritual: "A santidade! - é preciso conquistá-la à ponta da espada .... é preciso combater!...".(6)

Eis a têmpera de guerreiro dessa alma extremamente ativa e enérgica, no testemunho dos que a conheceram: "Sob um exterior suave e gracioso [ela] revelava a cada instante em seus atos um caráter de têmpera forte e uma alma viril; ela não conhecia abatimentos em seu devotamento aos interesses da Igreja" (7).

"É uma alma viril, um grande homem!" - diria mais tarde o Papa Pio XI.

Teresinha do Menino Jesus seguia dessa forma o conselho da grande Santa Teresa a suas filhas: "Quero que não sejais mulheres em nada, mas que em tudo vos igualeis aos homens fortes!" (8).

Assim escreveu o Cardeal Vico a respeito da Virgem de Lisieux: "A virtude de Teresa impõe-se com incrível majestade: a criança torna-se um herói, a virgem das mãos cheias de flores causa espanto pela sua coragem viril!" (9).

O exame grafológico do Bilhete de Profissão de Santa Teresinha nos fornece este testemunho admirável: "Uma decisão de ferro, uma vontade de luta, uma energia indomável aí estão expressas.

Há nesses traços, ao mesmo tempo, o pavor de uma criança e uma decisão de guerreiro" (10).

Em 1914 estoura a I Guerra Mundial. Santa Teresinha aparece umas quarenta vezes nos campos de batalha, tendo às vezes a cruz na mão, às vezes um sabre!

Os soldados a vêem, ela lhes fala familiarmente, resolve-lhes as dúvidas, vence-lhes as tentações, acalma seus temores. Ela os protege, consola e converte.

Os soldados franceses invocavam-na como "minha irmãzinha das trincheiras", "minha madrinha de guerra", "0 escudo dos soldados", "0 Anjo das batalhas", "minha cara pequena Capitã".

Um soldado escrevia: "Na verdade, a amável Santa será a grande heroína desta guerra".

"Penso nela quando o canhão troa forte".- comentava outro.

Inúmeras foram as baterias ou aviões batizados Soeur Thérese; regimentos inteiros foram-lhe consagrados.

Incontáveis relíquias da Santa que miraculosamente apararam balas de fuzil, quais verdadeiros escudos, salvando a vida dos soldados que os levavam consigo, estão no seu Convento de Lisieux para atestar tamanhos prodígios de quem, de fato, "morreu de armas nas mãos!".(11)


Notas:
4. CametJaune. 4.8.6-in Demiers entretiens. Édi­tions du Centenaire, Desclée de Brouwer­Éditions du Cerf, Paris, 1971.
5. Summarium do Processo de Beatificação e Canonização l, depoimento de Celina, 2753.
6. Correspondance Générale, Éditions du Cerf- Desclée de Brouwer, Paris, 1972, t. I (1877­1890), Carta (nO 89) a Celina, de 26 de abril de 1889. E Lettres ...• Carta a Leônia, de 20 de maio de 1894. 7. Summarium ... depoimentos da Madre Inês, 706, e da Madre Teresa de Santo Agostinho, 1072.
8. Citado pela própria Santa em carta ao Pe. Rouland, de 10 de novembro de 1896 - Lettres ...• CLXXVIII.
9. L'Esprit de Ia Bienheureuse Thérese de l'Enfant-Jésus d'apres ses écrits et des témoins occulaires de sa vie. Office Central de Lisieux, 1924, Prefácio, p. VIII.
10. Pe. François de Sainte-Marie, O.C.D.P., Manuscrits autobiographiques, Office Central de Lisieux, 1956, vol. II, p. 53.
11. Cfr. Interventions de Sr. Thérèse de l'Enfant-Jésus pendant la guerre, Pluie de Roses, Lisieux, 1920; e Ch. Gabriel Sarraute, Un soldat français: sainte Thérèse de l'Enfant-Jésus, Imprimerie Morière, 1970



Fonte: Catolicismo


Leia mais sobre Santa Teresinha do Menino Jesus

Nenhum comentário: