terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Professores querem fim da anarquia nas escolas brasileiras

Segundo a última pesquisa Pnad da ONU, o analfabetismo no Brasil está pior que na Bolívia.

Outra pesquisa feita no Brasil pela Organização dos Estados Iberoamericanos mostrou que 83% dos professores desejam o retorno da disciplina nas escolas. 67,4% deles defenderam a expulsão de alunos.

“Somos agredidos verbalmente pelos alunos diariamente”, disse Ricardo Pinto, professor de história em São Paulo.

O presidente da CNTE (confederação dos profissionais da educação), Roberto Franklin de Leão, diz: “estamos abandonados pelo Estado, sem condições adequadas de trabalho”.

“Não há limites para nada. A expulsão é necessária em alguns casos”, acrescentou o pesquisador da Universidade de Brasília, Wanderley Codo.

Nesse ambiente de “Revolução cultural” permanente introduzido pelas esquerdas o analfabetismo não acabará, e a anarquia e a ignorância farão mais estragos nas crianças.

(Extraído do blog Valores Inegociáveis)

_____________



-

Um comentário:

Anônimo disse...

Estou de acordo com o professor que defende a disciplina. Vou além a implantação de "rigidez", linha dura etc. Digo isso porque "já não se fazem mais "pais" como antigamente."Aluno; drogado, mal-educado, tem que ser punido rigorosamente. Se psicologia, tratamento,boa educação não adiantar, o negócio é expulsar mesmo e, se virar bandido, que a justiça tome conta desses marginais criado no mimo, assim podemos dizer que serão separadas as "ovelhas dos cabritos"