terça-feira, 1 de julho de 2008

Poloneses em marcha contra o aborto

Apesar da Polônia ter ficado dominada pelas garras do regime comunista por 4 décadas, sob o jugo da “bota soviética”, cresce a cada ano a “Marcha pela Vida”contra a prática do aborto, em defesa do instituto da família naquele país do leste europeu.

A respeito transcrevo o artigo do correspondente da revista Catolicismo em Cracóvia Leonardo Przybysz e publicado na edição de julho www.catolicismo.com.br

__________________

Com a participação de quatro mil pessoas, e por iniciativa da Associação pela Cultura Cristã Padre Piotr Skarga e da Fundação Pro realizou-se em Varsóvia (Polônia), no dia 25 de maio último, a Terceira Marcha pela Vida, que visa defendê-la desde a concepção até a morte natural, também defender os valores cristãos, como a família.

Esta já é a terceira marcha. Tudo começou quando vários membros de nossas organizações participaram da marcha anual contra o aborto em Washington, que ali se realiza há mais de trinta anos”, disse um dos organizadores do evento.

A manifestação teve início na rua Nowy Swiat, e à frente dela estava uma orquestra formada de jovens. Membros de numerosas organizações de defesa da família acorreram de várias cidades da Polônia.

Animaram também a marcha representantes da Ucrânia, do Brasil e da TFP dos Estados Unidos, assim como de Acción Família, do Chile. Entre as faixas e cartazes se destacavam: “Stop aborto!”, “Médicos, defendei a vida!”, e outros.

Prestigiaram a marcha com sua presença dois juízes do Supremo Tribunal de Justiça e cinco deputados, entre eles o ex-presidente da Assembléia Legislativa, Marek Jurek.


“A Europa é um Titanic demográfico. Ela passa por uma crise demográfica que começou nos anos 60, quando teve início um solapamento de valores fundamentais sobre os quais a civilização européia foi construída” — disse o presidente da Associação pela Cultura Cristã Padre Piotr Skarga, Slawomir Olejniczak, referindo-se à queda da natalidade.

E ressaltou que a Polônia ainda é um sadio bastião da família, e deve manifestar muita adesão a esses valores.

Mariusz Dzierzarwski, falando em nome da Fundação Pro, comentou: “Há anos observamos ataques de ideólogos e burocratas contra a família. E vemos as tristes conseqüências disso. Entretanto, a situação da Europa depende da situação das famílias que a compõem. A Europa do futuro será apoiada na família, ou então ela não existirá”.


Vários canais de televisão e jornais deram eco ao evento.

A marcha foi encerrada com um animado lanche das famílias num dos jardins à margem do rio Vístula, que banha a capital polonesa.

(Extraído do blog da Família)

____________________________



-

Nenhum comentário: