quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

São Luís Maria Grignion de Montfort

( da obra "O Estandarte da Vitória", de Péricles Capanema Ferreira e Melo)

São Luís Maria Grignion de Montfort, que faleceu em 1716 com apenas 43 anos, foi o grande apóstolo da devoção marial.

E, ao mesmo tempo, foi também grande apóstolo da devoção ao Coração de Jesus, prenunciando um tipo de piedade que se tornará comum no século XIX.

Missionário popular na Bretanha e no Poitou, regiões ocidentais da França, este Santo utilizava muito o recurso da poesia e do canto para fixar as verdades que pregava e, concomitantemente, estimular a piedade.

Deixou numerosas canções, que até hoje são conhecidas nas regiões que evangelizou ou foram percorridas pelos missionários da congregação que fundou. Estes as faziam cantar em suas missões naquelas regiões.

Em fins do século XVIII, os Missionários de Maria, fundados por São Luís Maria, serviam-se também, nas missões no Poitou e na Bretanha, de estandartes, bandeiras e imagens do Sagrado Coração.

Haviam recebido esta forma de pregação popular de seu fundador e modelo. Mas também recebiam, assim como antes recebera São Luís Grignion, o ódio dos maus.

Em todas as partes, eles foram denunciados como os mais ardentes cordícolas, maneira depreciativa usada pelos revolucionários – muito especialmente os jansenistas – para se referir aos devotos do Sagrado Coração. Foram mais tarde alvo contínuo da inimizade dos partidários da Revolução Francesa.

Sua devoção tinha uma coloração visitandina. São Luís Maria mantivera relações amistosas com essas freiras, através de contactos com o convento da Visitação de Poitiers, capital do Poitou.

Ele compôs os versos abaixo, um incitamento a que essas monjas propagassem a devoção ao Sagrado Coração.

Ó religiosas muito santas,
Meus versos não poderiam exprimir
Como eu as julgo felizes
De ter esse grande Coração para adorar.
É para vós uma glória imensa,
Que o Coração do Cordeiro Divino
Tenha nascido entre vós
Vossa casa é seu berço.
Se entre vós Ele quis nascer
É para crescer e aumentar
Vós O deveis fazer conhecido,
Vós o deveis manifestar.


O Santo compôs ainda estrofes dedicadas ao Sagrado Coração, para uso popular, e algumas outras para Família Real. Nessas últimas se percebe que conhecia a mensagem a Luís XIV, analisada em capítulo anterior, e a julgava extensiva aos demais Príncipes da Família Real.

Foi provavelmente em Poitiers que São Luís a conheceu. Nas estrofes dirigidas aos Príncipes, ele coloca nos lábios de Nosso Senhor um convite a ele – que é também uma advertência – pois se não quiserem, isto é, se não correspondessem à graça, aqueles bens prometidos não lhes seriam dados:

Se quiserdes, Príncipes da França,
Amar meu Coração vitorioso
A vitória e a abundância
Seguirão vossos exércitos em todos os lugares.
No me Coração está toda vitória
Sobre vossos inimigos e os meus.
No meu Coração estão minha glória,
Todos meus tesouros e todos meus bens.


Como não poderia ser diferente, as devoções autênticas não fazem concorrência entre si. Complementam-se atendendo a diferentes pendores de alma, a diferentes inspirações da graça.

São Luís Maria passou para a História da piedade católica, não como santo do Sagrado Coração, mas como santo da escravidão marial; ele via bem que a escravidão de amor a Maria é o caminho mais rápido e seguro pra ir até o Coração de seu Divino Filho.



(Veja outros Grandes Devotos do Sagrado Coração)

Nenhum comentário: