segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Pequeno Catecismo da devoção ao Sagrado Coração de Jesus - parte 3

(continuação da parte 2)


21 - Qual a finalidade da instituição da festa de Cristo Rei?

Ainda segundo Pio XI, sua instituição era para que não só o povo, mas também o Poder Público, relembrasse anualmente suas obrigações de "prestar culto público a Cristo e sujeitar-se às suas leis". (Pio XI, Encíclica Quas Primas, n.33).


22 - Então Nosso Senhor Jesus Cristo é Rei?

Sim. Ele mesmo o proclamou quando interrogado por Pilatos: "Logo, tu és Rei? Respondeu-lhe Jesus: Tu o dizes, sou Rei" (Jô 18,37). Em outra ocasião já afirmara o Divino Salvador que "todo o poder me foi dado no céu e sobre a terra" (Mt 28,18).


23 - Por quais títulos Nosso Senhor é Rei?

Segundo o Papa Leão XIII, Jesus Cristo é Rei a três títulos:

- Como Filho de Deus, Ele tem direito natural à soberania.

- Sendo Redentor da Humanidade, por nos ter arrancado do poder das trevas com sua morte na Cruz, adquiriu um direito suplementar à realeza sobre todos os homens.

- Em terceiro lugar, Ele é Rei por livre eleição nossa. Esta forma de realeza, Ele a quer especialmente. (Cf. Leão XIII, Encíclica Annum Sacrum, nn.4-7).


24 - De que natureza é a realeza de Cristo?

Sua realeza é sobretudo espiritual. É o que ensina o Papa Pio XI: "Esta realeza, porém, é principalmente interna, e diz respeito sobretudo à ordem espiritual". E mais adiante: "Este reino opõe-se ao reino de satanás e ao poder das trevas; de seus adeptos exige o desprendimento não só das riquezas e dos bens terrestres, como ainda a mansidão, a fome e sede de justiça". (Pio XI, Encíclica Quas Primas, n. 12).


25 - A realeza de Cristo é também temporal?

Sim, é também temporal. Quer dizer, diz respeito não só às almas, mas igualmente às coisas materiais e transitórias. É o mesmo Pio XI que ensina: "Seria erro grosseiro denegar a Cristo Homem a soberania sobre as coisas temporais todas, sejam quais forem". O Pontífice adverte ainda: "Não cabe fazer distinção entre os indivíduos, as famílias e os Estados. Pois os homens não estão menos sujeitos à autoridade de Cristo em sua vida coletiva do que na vida individual". (Pio XI, Encíclica Quas Primas, nn. 13-14).


26 - Esta realeza tem sido reconhecida pelos homens e pelos Estados modernos?

Infelizmente, não. Pelo contrário, a realeza de Cristo vem sendo negada pelo pecado dos homens e dos Estados. O Papa Pio XI fustiga o laicismo como doutrina pestilencial: "Peste de nossos tempos é o chamado laicismo, com seus erros e atentados criminosos". Ainda Pio XI: "Não é num dia que esta praga chegou à sua plena maturidade; há muito estava latente nos Estados modernos". (Pio XI, Encíclica Quas Primas, nn. 21-22).


27 - O que se deve entender por realeza social de Cristo?

Por realeza social de Cristo entende-se seu domínio sobre todas as sociedades, desde as menores – as famílias – até a suprema delas, o Estado. A vida cultural, a escola, o mundo do trabalho, devem pautar-se pelo Evangelho. Essa realeza social só será possível se Cristo começar por reinar na primeira e mais natural das sociedades, a família.


28 - Existe alguma prática especial para significar a realeza de Cristo nas famílias, e para torna-la efetiva?

Sim. Para o Apostolado familiar, existe a Obra da Entronização. Consiste em colocar solenemente num lugar de honra do lar uma imagem ou estampa do Sagrado Coração, como símbolo da realeza de Cristo sobre aquela família. Esse ato se completa com a consagração da família ao Coração de Jesus.


29 - Para quem é especialmente indicada a devoção ao Sagrado Coração?

Esta devoção pode ser praticada por todos. Ele é, entretanto, especialmente indicada para aqueles que lutam para que Nosso Senhor reine não só no interior das consciências, mas também na sociedade. Por exemplo, para quem luta contra a imoralidade na televisão, a disseminação das drogas, o aborto e outros flagelos de nosso tempo.

É o que recomenda o Papa Pio XII: "Desejamos que todos os que ... lutam ativamente para estabelecer o reino de Jesus Cristo no mundo considerem a devoção ao Coração de Jesus como bandeira". (Pio XII, Encíclica Haurietis Aquas, nn. 82-83).


30 - A devoção ao Sagrado Coração está baseada nas revelações a Santa Margarida Maria Alacoque?

Não. Conforme ensina Pio XII, esta devoção tem sua base na Revelação pública e oficial, isto é, nas Sagradas Escrituras e na Tradição.

(continua em próximo post)

(Do livro: “O estandarte da vitória, A devoção ao Sagrado Coração de Jesus e as necessidades de nossa época”, Autor: Péricles Capanema Ferreira e Melo – Editora Artpress – www.livrariapetrus.com.br)

Um comentário:

Anônimo disse...

olá Reges!!!

Estou sentindo falta das outras 20 perguntas e respostas do Pequeno Catecismo da devoção ao Sagrado Coração de Jesus - parou na parte 3...

Estou no aguardo.


Cleidson