sábado, 5 de janeiro de 2008

Notícia boa: Catolicismo já é a religião com mais praticantes na Inglaterra.

Um estudo divulgado antes do Natal revelou que já são mais os católicos que os anglicanos a frequentar as igrejas da Grã-Bretanha.

A Inglaterra separou-se oficialmente de Roma durante o reinado de Henrique VIII, mais de 450 anos atrás. Com isso, a Igreja Anglicana tornou-se dominante no país. Até porque foi proibida a Igreja Católica.

Agora um estudo conduzido pelo grupo Pesquisas Cristãs e divulgado no jornal Sunday Telegraph mostrou que, em 2006, cerca de 860 mil católicos foram à missa semanalmente no país, superando os 850 mil anglicanos que foram à igreja.

Os resultados do estudo vieram a público depois da notícia de que o ex-primeiro-ministro Tony Blair, que foi educado como anglicano, se converteu ao catolicismo.A frequência de fiéis nas cerimónias religiosas anglicanas caiu para metade nos últimos 40 anos.

Apenas seis por cento da população frequenta a igreja regularmente. Nos Estados Unidos, a cifra equivalente é de quase 40 por cento da população. Embora os números relativos à frequência de igrejas estejam caindo tanto entre católicos quanto anglicanos, os de católicos estão diminuindo bastante menos.

Os líderes católicos manifestaram a sua alegria com os números e com a conversão de Blair, vendo nisso um ressurgimento da popularidade católica num país que, no passado, proibiu essa religião ou tudo fez para a apoucar.

Um comentário:

Bispo Dimitrios disse...

A Igreja Anglicana com sua teologia flutuante e com seu permissivismo no campo moral deixou de ser o baluarte da moral e da Fé e se tornou cada vez mais evangélica se afastando da verdadeira fé que uma vez foi entregue aos santos.Faz jus ao seu fundador o Rei Henrique VIII,um homem luxurioso e vil.Aplausos a Igreja Católica que preferiu perder a Inglaterra que violar seus dogmas de Fé.