sábado, 5 de janeiro de 2008

Cristãos morrem ainda hoje por sua fé, diz papa

O Estado de S. Paulo, quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Reuters e Efe

CIDADE DO VATICANO — O papa Bento XVI afirmou que os cristãos enfrentam ainda hoje perseguição, tortura e morte em algumas partes do mundo e continuam convertendo-se em mártires da fé. A mensagem do pontífice foi dirigida a peregrinos católicos durante a o Dia de Santo Estêvão, considerado o primeiro mártir cristão. A data é celebrada imediatamente após o Natal.

O papa afirmou que os cristãos que morreram por sua fé rezavam pelo perdão dos algozes. “Sempre devemos notar que essa é uma característica distintiva do mártir cristão, (pois) trata-se de um ato de amor dirigido a Deus e aos homens, sem excluir seus perseguidores”, afirmou Bento XVI a uma multidão aglomerada, sob chuva, na Praça de São Pedro. “O martírio cristão nos lembra da vitória do amor sobre o ódio e a morte.”

3 comentários:

Anônimo disse...

Sim há países onde os cristãos são impedidos de viver e praticar a sua fé. Não podem batisar seus filhos, não conseguem emprego, são incomodados em suas casas e hostililizados em todo lugar. Na cidade de Kónia por exemplo, na Turqia, existem apenas onze cristãos, que vivem ardorosamente sua fé a meio aos cerca de dois milhões de habitantes. Ao mesmo tempo que isto nos dói no coração, nos obriga a rezar e viver melhor nossa fé.

Anônimo disse...

nos somos chamados por Deus a vivermos na verdade, ea darmos a vida pelo evangelho.

Anônimo disse...

Sou EVANGÉLICA da ASSEMBLÉIA DE DEUS,isto só nos prova que a vinda de Jesus está cada vez mais próxima.Muitos cristãos morreram por acreditar em DEUS e no REINO DOS CÉUS.Mas o que nos conforta é que até podem matar a nossa carne, MAS O NOSSO ESPÍRITO, a ALMA, esta é imortal.E quando um salvo morre ela vai para perto do PAI e aí nada mais importa porque ela voltou para o criador SENHOR DE TODOS NÃO INTERESSANDO SE É ATEU SE ACREDITA EM DEUS O NÃO. O FATO É QUE ELE EXISTO E NOS PROVA A CADA DIA O SEU INFINITO AMOR DANDO O LIVRE ARBITRIO PARA TODOS NÕ FORÇANDO NINGUÉM A ACREDITAR.